Permita me compartilhar com você leitor os pontos determinantes que encontrei na implantação do nosso alambique Cachaça Canela-de-ema, na esperança de alertá-lo, se sonha em ter um equipamento deste para produção de sua cachaça, ou mesmo se você é um edificador de obras como esta ou similares. Vale lembrar de imediato que teceremos aqui comentários tanto para alambiques previamente projetados como para aqueles que utilizam ou pretendem utilizar construções já existentes.

Primeiro passo que fiz e recomendo fazer é um curso atualizado sobre produção de cachaça, lembrando que cachaça, por definição do MAPA, é um destilado feito de cana de açúcar com teor alcoólico que vai de 38 a 48°GL. Mesmo se você já produz cachaça e deseja apenas reformar ou atualizar seu alambique, um curso seria bem vindo, porque sempre há novidades, e quem já está no processo tende a se considerar suficiente e perde a oportunidade de reduzir as dores de cabeça quando da construção e utilização do seu equipamento.

O segundo passo, não menos importante que o primeiro, foi visitar os dois mais tradicionais construtores de alambique do país, enquanto um recomendava uma construção sobre um terreno plano o outro recomendava em um terreno com elevações. Percebam o quão difícil foi tomar esta decisão de imediato e logo no inicio da construção, em especial porque as sugestões não vieram de um amador, mas de uma turma experiente em todo território nacional, não só na confecção como também na instalação de seus alambiques, e agravada ainda pelo fato de que, uma vez escolhido o tipo de terreno não haveria mais volta, ou pelo menos, custaria muito esse arrependimento.

O terceiro passo foi visitar alambiques, em espacial no estado de Minas, alguns fornecedores de cachaça de alambique para nosso empório virtual cachaça canela-de-ema, na tentativa de facilitar minha decisão quanto ao terreno, se plano ou inclinado. Confesso que mesmo tendo visto um número grande de alambiques, pouco ajudou na minha dúvida inicial, para ser sincero até piorou minha indecisão, e afirmo que a maioria dos que visitei eram em declive, compreensível, em parte porque a maioria destes alambiques estão nas entranhas das montanhas de minas, onde declives naturais não faltam em nenhuma fazenda ou propriedade.

O quarto passo, o mais terrível e determinante de todos, a definição, se o nosso alambique seria construído em terreno com declive ou em um plano. Isso iria definir tudo o mais no alambique, até mesmo nas características dos equipamentos. Os argumentos considerados na escolha que apreendi de minhas visitas, conversas e leituras foram as seguintes: terreno em declive favoreceria o escoamento por gravidade do caldo, mosto, vinho, destilado e vinhoto, o que economizaria bombas hidráulicas, energia elétrica e dor de cabeça quando houvesse falta de energia, enquanto que no terreno plano economizaria escadas entre os desníveis de cada platô, onde estão os equipamentos, mais segurança dos colaboradores, por não terem que fazer uso de escadas constantemente e mais facilmente poderia ser o acesso para embarque e desembarque de produtos e mesmo de troca de equipamentos do alambique com uso de caminhões, carros etc.

O quinto passo, muito trabalhoso, mas nesta altura, se você tiver um bom projeto, feito por um arquiteto treinado nesta área, tudo fluirá muito bem, exceto se você não optar como eu por utilizar alvenaria estrutural em um local onde este tipo de construção ainda não chegou, como era o caso de Itumbiara em Goiás em 2018, onde está instalado nosso alambique. Além do trabalho de ter que importar alvenaria e mão de obra de outros localidades, você terá como consequência disso um aumento extra do custo de sua construção devido ao frete e também da mão de obra, que além de especializada terá que ser importada.

Você já deve estar perguntando, e com razão, o porquê de minha opção pela alvenaria estrutural. Levei em consideração dois fortes motivos, a velocidade de construção, em especial se o terreno for plano, e minha opção definida no quinto passo, quando escolhi construir em terreno plano, mas sem levar em conta que em Itumbiara ninguém ou quase ninguém conhecia alvenaria estrutural, nem nas lojas de matarias de construção e muito menos entre os construtores. Sendo assim, um dos elementos que também ajudou minha opção pela construção em terreno plano, que foi a definição pela alvenaria estrutural, tornou se um grande problema, para não dizer um problema insolúvel no curto prazo.

A minha opção pelo terreno plano só não foi abandonada porque eu encontrei, depois de muito análise e conversas com a arquiteta do alambique, um fornecedor de alvenaria estrutural na cidade de Araguari, em Minas Gerais, a um pouco mais de 100 km de nossa obra, o único inconveniente era estar no estado vizinho, mas em outro estado, o que elevaria impostos, mas depois de muito cálculo defini de fato pela terreno plano, mesmo sabendo que para isso foi aterrado uma área de 2500 m2, um plano inclinado de quase 45°, onde foi consumido 650 caminhões de terra, ou seja, eu já tinha o terreno na inclinação ideal para a opção de construção em declive, bastava fazer os cortes e os muros de arrimo, e mesmo assim optei pela construção no plano com alvenaria estrutural, quase insano fui eu numa análise imediatista.

Podemos concluir que a sua definição de tipos de construção ou reforma para seu alambique, se em terreno plano, com ou sem aterro, ou se em terreno inclinado, com ou sem corte, é de fato um caso único e uma definição única, mas poderá ser menos dolorosa se você seguir os cincos passo acima, sem esquecer de conversar muito com seu arquiteto e engenheiro, que também, claro, devem conhecer de alvenaria estrutural se for esta sua opção de construção cada vez mais usada, mesmo para grandes construções.

Autor: Adão de Faria

Revisor e Editor: Felipe G. J. de faria


Empório Cachaça Canela-de-ema

Loja virtual, e-commerce, da empresa Agronegócios Fazenda Lagoa Seca do Brasil LTDA que comercializa, no atacado e varejo, cachaça artesanal, orgânica e produtos afins. Todos os produtos são devidamente escolhidos com base nos melhores resultados dos testes de qualidade conforme critérios do MAPA.

1 comentário

Quatro passos para fazer sua cachaça orgânica - Case Cachaça Canela-de-Ema - Blog Cachaça Canela-de-ema · 16/12/2021 às 16:33

[…] bem como toda a propriedade, estavam conforma a lei do orgânico, o que nos animou a incrementar a construção do alambique que já estava acontecendo em paralelo desde início de […]

Olá!

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

pt_BRPortuguese
%d blogueiros gostam disto: